05mar11 - Cricri (por Salmon Flores)

04/03/2011 16:17

 

Democratas/Tubarão (1)
Reportagem esteve investigando essa semana os bastidores do DEM. Em Florianópolis, corre à boca pequena, que está em curso um briga de foice pelos parcos cargos que sobraram ao DEM de Tubarão. Na Regional de Saúde, dois nomes: Embora a imprensa tenha citado Dalton Marcon, que é presidente da sigla no município, Eza Zabot, esposa de Ângelo Zabot, o “Con”, também é nome quase certo para o cargo. Se não ficar com ela, pode ficar com o filho. José Nei Ascari, ao que consta teria abençoado a indicação. Noutra gerência da SDR, a de Cultura, Esporte e Turismo, quem sobrar ai em cima, só restará abraçar essa pasta. No governo passado, LHS, era Moisés de Andrade que ocupava o cargo.

 

Democratas/Tubarão (2)
Na pasta Social, Trabalho e Educação, Zé Nei teria questão fechada. Militantes estariam irritados e desolados, pois  o deputado poderia exigir mais para o partido. Dizem que ele não pode deixar fazer isso com os parceiros. O ex-secretário da SDR, Jairo Cascaes e João Marcelo, não receberam recursos de campanha. Assumiram a bronca, alugaram o comitê próximo ao Praça Shopping, pagaram com recursos próprios e com a ajuda de amigos. Jairo sequer foi chamado, convidado ou lembrado para qualquer cargo em Florianópolis. Emissoras locais de Tubarão, no decurso desta semana, ventilaram que Jairo Cascaes iria assumir na SDR como Gerente de Administração e Finanças. Ele próprio nos confirmou que não vai aceitar, não quer. Para o cargo deve ser confirmado o filho do ex-vereador Pedro Contador, Darlan Filho.

 

Tranquilo
Jairo Cascaes disse estar tranquilo, mas não esconde sua tristeza. Afirma que, quando o Pavan assumiu o governo, ele acatou o pedido de Raimundo Colombo, e entregou o cargo de Secretário Regional, porque sempre acreditou nas lideranças maiores do seu partido. E olha que foi convidado pelo próprio governador Pavan para continuar. Manifestou que foi apoiado e reconhecido pelo governador Luiz Henrique da Silveira. E agora? Foi orientado a dar um passo atrás para quando ganhassem o governo pudessem dar alguns mais à frente. Esperava que o governador e o deputado por quem tanto trabalhou o Zé Nei Ascari, olhassem por ele e por àqueles que tanto vestiram a camisa. Mas, política é assim mesmo.

 

Câmara de vereadores
Jairo Cascaes tem uma boa amizade com o vereador Caio Tokarski e espera que o prefeito Manoel Bertoncini possa nomear Caio para a Fundação de Cultura. Neste caso Cascaes ficaria na Câmara de Vereadores pelo menos até o final de abril do ano que vem. Mas isso só vai acontecer depois da reforma que o prefeito vai promover.

 

Mágoa
No governo do PMDB, Jairo Cascaes era homem de confiança do LHS. Jamais imaginaria ficar nesta situação, politicamente fragilizado, sem força política nenhuma. Até para resgatar a palavra penhorada, que todos sabem deixam perante as pessoas e a sociedade quando se envolve de cabeça numa campanha. Ele se envolveu demais com a campanha do governador Raimundo Colombo e com o deputado José Nei Ascari. Disse confiar e admirar muito o Zé, mas por ser principiante, é um franguinho na política ainda. “Eu não vou me humilhar. Só que acho que algumas pessoas se enganam quanto a nossa força. Sou humilde, mas sou de muito trabalho.”, desabafou.

 

Twitter do Arboite
Uma vez ouvi de meu pai que quando se invade a privacidade de famílias, qualquer coisa passa a ser extremamente perigoso. No Twitter o vereador de Capivari, Ricardo Arboite colocou o seguinte: “Recebi uma ligação de um membro da executiva, sugerindo nome à futura ponte: ponte das famílias” sentenciou. O povo de Capivari sabe que a filha do Prefeito Brunel/PMDB é noiva e deve casar-se em outubro com o vice-prefeito de Tubarão, Pepê Collaço, ainda no PP. Com ou sem razão, Arboite, desgraçadamente invadiu o caminho mais perigoso para um homem público. Cuidado para não ficar sozinho, “vereadô”!

 

Ainda Arboite
Em festança na sua casa recentemente, Arboite que costuma usar a imprensa falada e escrita sem nunca abrir a mão, tipo, nono Correia, chamou apenas dois “colegas” mais chegados (Fabiano e o Antônio Carlos). O rega-bofe foi para o correligionário Zonta, dizem. 

 

Acerto
Alguma coisa estranha anda acontecendo na política de Orleans. Ferrenha adversária da família Librelato, a presidente da Câmara de Vereadores de Orleans, Suzelei Brighenti Padilha, a “Lela”, parece que se acertou com o vice-prefeito José Carlos Librelato, o “Lussa”... A sessão da Câmara na próxima semana será em homenagem ao Dia Internacional da Mulher e Lela disse, na sessão da última segunda-feira (28) que vão trazer o psicólogo e jornalista Luiz Carlos Prates para palestrar. Adiantou ainda que a Câmara não vai desembolsar nenhum recurso para este fim e que o cachê do palestrante será pago por um patrocinador. Sabe quem? Lussa Librelato. 3 mil reais...

 

Estresse
Temos notado de que Lela parece estar um pouco estressada. Talvez por alguns vereadores estarem sendo ouvidos na Polícia Civil, num inquérito que teve origem num processo aberto pelo médico, Arcângelo Librelato. Curioso é que Lela não foi citada no processo e portanto, não é ré. Informações dão conta que Mário Coan e a Berenice Bernardo Durante, a “Nice”, já foram ouvidos. Fonte fidedigna afirma que a presidente da Câmara foi chamada pelo promotor de Justiça da Comarca para algumas explicações, o que a teria deixado nervosa e agitada. A reportagem do Jornal A Crítica tem tentado ouvir Lela, mas parece estar enclausurada ou não quer falar com imprensa.

 

Comprometimento
Comentários pelos senadinhos de Orleans dão conta que algumas ações que Lela está tomando podem comprometer seu futuro político e a própria campanha do marido, Gelson Padilha que deseja retornar à prefeitura nas eleições do próximo ano. Como a política é muito dinâmica, não se surpreendam se virem no mesmo palanque a família Librelato, Gelson Padilha e Lela. É esperar para ver. O pessoal do PMDB já está com a pulga atrás da orelha.

 

Coral


O vereador Osvaldo Cruzetta, o “Vá”,  está por demais preocupado com a notícia sobre a situação do coral Emelina Pfutzenreuter que corre o risco de acabar. Diz que os vereadores precisam dar uma atenção mais especial para o caso... Comentou que o executivo encaminhou projeto de lei para a Câmara pedindo R$ 50 mil para o Lyons e que a proposição precisa ser analisada profundamente. Avisa que os edis não podem esquecer os tradicionais que há 30 anos vem trabalhando e nos últimos anos foi recebido muito pouco do Poder Público, principalmente da prefeitura. A vereadora Nice disse que fez uma indicação de  R$ 5 mil para o coral e o prefeito não acatou. Isso no ano passado. Sem falar no caminhão de recursos que vai para a Adore.

 

Brio
Orleans busca a figura ideal de um homem público que possa comandar a cidade. Não sei se a exemplo de Cincinate, Antonio Dias André, o “Geada”, não possa vir do interior de Pindotiba, para fazer aquilo que muitos não conseguiram. Buscar a intendência e transformar a cidade das Colinas. O vereador do PMDB de Orleans deu-me essa certeza, por ser homem sério e extremamente coreto com seu discurso e sua vida. Na última sessão do legislativo, questionou a forma com que os pedidos de recursos para o carnaval foram feitos nesse ano. Disse que deixaram para a última hora e que encaminharam a solicitação de R$ 35 mil na segunda-feira. Disse que a Liga tem um ano inteiro para planejar e se organizar e deixam para fazer em cima da hora. Apesar da discussão aberta, o pedido foi aprovado para a alegria dos foliões.

 

Orleans (Verba garantida)
Os vereadores Mário Coan e Vá, abriram discussão sobre o repasse de verbas para o carnaval em detrimento da situação por que passam os agricultores, as pontes e estradas sem manutenção. Isso que Orleans está em situação de emergência. Vá chamou reunião com o prefeito Tinto que disse ter R$ 100 mil para usar em beneficio dos agricultores. O alcaide teve de ser chamado na pua para resolver a situação.

 

Bola fora
O vereador Dão, líder do governo Tinto na Câmara de Orleans, deu a maior bola fora na última sessão. O comedor de bolachas, apelido carinhoso e respeitável que ganhou quando estava em cargo de confiança na prefeitura, tentou ironizar abrindo espaços para o vereador Geada em seu partido para que recebesse os votos da situação no ano que vem quando da eleição da Mesa Diretora da Câmara. Geada disse que não faz esse tipo de negociata que é costume dos integrantes do atual governo. Bateu na veia. Mas tome cuidado Geada. O poder subterrâneo de interesses exclusos, poderão alijá-lo da Presidência.

 

Desembargador
O advogado Tubaronense, João Batista Góes Ulysséa, que já foi assessor  jurídico e advogado do prefeito Luiz Carlos Brunel Alves, de Capivari de Baixo foi nomeado pelo governador Raimundo Colombo como novo desembargador no tribunal de Justiça de Santa Catarina. Ulysséa liderou a primeira lista, recebendo 44 votos, contra 32 de José Brás Silveira e 31 de Anita Gomes Vieira. Ronei era o terceiro da segunda lista, tendo recebido 29 votos, contra 41 de Antônio Carlos Cunha e 43 de João dos Passos Martins Neto. As duas listas tríplices foram votadas no mesmo dia pelo pleno do TJ/SC, que submeteu ao escrutínio as duas listas sêxtuplas votadas pela Seccional Catarinense da OAB no ano passado. Ainda não há confirmação da data de posse.

 

Debandada
Informações quentinhas vindas de Capivari de Baixo indicam que está para estourar uma debandada geral no PP daquele município. Integrantes do Partido Progressista alegam que os dirigentes pensam somente em seus interesses e que postulam ingressar no PMDB ou PSDB. Seria bom o presidente da sigla no Estado dar uma boa olhada na situação porque o feito Pepê Collaço, genro do prefeito Brunel, está levando muita gente junto com ele. Desse jeito, os progressistas podem tirar o cavalinho da chuva na eleição do próximo ano.

 

Everaldo
Nem bem tomou posse como novo Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, e o vereador Everaldo dos Santos teve mudança repentina. Na mesa diretora vereadores torcendo o nariz e prestes a desejar Evê sozinho. O Presidente ao invés de mudar o curso da política, ouvindo seus amigos mais chegados e colocando em ação um plano para ajudar a cidade, que ele tanto defendia na Tribuna ao longo de anos, resolveu correr para os braços do prefeito e só pensa em aumentar o número de vereadores, construir um anexo para gerar mais gastos. Laguna esperava mais, excelência! Cadê seu discurso? Ruas do Mar Grosso, atenção aos necessitados, obras e ações no interior. Operação tapa buraco, defesa da moralidade, entre outras coisas. Semana que vem tem mais...

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!