07maio16 - Orleans: Prefeitura gasta 600 mil reais em Publicidade e só 5 mil em Cultura

06/05/2016 10:22

Por causa da diminuição do repasse realizado pela Prefeitura de Orleans, em mais de 60% do valor do convênio, alguns cursos da ProArt ficarão suspensos por tempo indeterminado. O Centro Sociocultural divulgou na terça-feira (3) uma nota de esclarecimento: “Tínhamos um convênio de R$ 12 mil ao mês em 2015 e este ano havíamos firmado junto à Administração Municipal um convênio de R$ 13,5 mil mensais. Porém, fomos informados de que foi liberado apenas R$ 5 mil ao mês, sem contar os meses já trabalhados. Ou seja, não será pago retroativo”. Já na segunda-feira (2) o assunto foi tratado na câmara de vereadores. Kiki Berger enumerou os cursos reduzidos no ProArt. “Curso de teclado que era gratuito não vão mais ser oferecido, piano, aeróbica, zumba, acordeom, capoeira, teatro e bateria. E agora o que vamos falar para as pessoas que compraram instrumentos e que não terão mais aulas? E os professores que ficaram desempregados? É uma pena. Conversei com o prefeito, ele disse que não tinha recurso. Mas, vou citar algumas coisas dessa administração que são sem nexo: Um projeto de reforma de três creches, onde foram gastos R$ 65 mil. Gastaram R$ 140 mil para fazer na garagem da prefeitura, uma sala de cinema, que nunca existiu. Na época que o Dão era presidente da câmara, foi feita uma economia de R$ 200 mil, para que fosse repassado para o hospital, esse dinheiro foi para a prefeitura e sumiu. O mais absurdo de tudo foi que fizeram uma licitação que podem gastar R$ 600 mil em publicidade, em placas, em livrinho, creio que já gastaram uns R$ 300 mil, eu não sei o total, mas vou verificar. No cemitério municipal, as taxas cobradas às vezes são superiores ao IPTU de uma casa, e nada acontece. Só com o salário dos três casos de nepotismo da prefeitura, que a juíza proferiu a sentença agora, já daria para manter o Instituto ProArt”, alerta o vereador. Mário Coan foi favorável ao discurso do colega Kiki: “Vereador Cristian, hoje eu recebi a ligação de um pai de um aluno da Escola Ilza Pedone, onde foram feitas três licitações para troca telhado, fazer o muro e reforma. Não é só o cupim que come a democracia com a corrupção no Brasil, existe o cupim, aquele bichinho que come madeira, que está também destruindo obras públicas por falta de manutenção, mas não por não existir gasto, por usar o recurso público com má fé, com dolo e com sacanagem para cima da sociedade”, concluiu o edil.  

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!