16abr11 - Comunidade (por Munir Soares)

15/04/2011 14:22

 NO MEIO DO CAMINHO TINHA UMA PEDRA...

No outono da Laguna, a natureza vive em festa. A lagoa, espelhada, reflete o azul do céu. Botos, tainhas, biguás, gaivotas e calixtos brincam, alegres, no mar, e no ar. O cartaxo é um pescador solitário, com sua rica plumagem, empoleirado no mastro de um barco ancorado nas docas, aguarda o momento para o mergulho certeiro em busca do peixe. A natureza está em festa, no mar, o céu, e em terra? Em terra, a violência urbana patrocinada pelo tráfico de drogas é a nova pedra no sapato da outrora pacata sociedade lagunense. A pedra mais famosa da terrinha é uma habitante do canal da barra, vilã de tantas histórias contadas sobre o porto da Laguna, desde o início do século XIX. Durante muitos anos, quando serviu de bode expiatório de nossas mazelas administrativas, a tal pedra era denominada de “Lage” ao invés de “Laje”. Briguinhas de vizinhos.

Com as obras de retificação do molhe sul, alguns 40 milhões de reais após o início dos trabalhos, eis aí, a ressuscitada. A empreiteira constata que existe uma pedra no meio do canal. Coisa grande, mitológica, cuja remoção estaria além das possibilidades técnicas das empresas do consórcio. Embolsaram a grana, levantaram acampamento, sacudiram a poeira, e foram embora. Tchau e benção!

Num importante evento sindical, membros do Sindicato Nacional dos Empregados em Portos do Brasil reuniram-se em Laguna. Com certeza trataram de problemas relativos à categoria e, também, sobre a situação dos portos brasileiros. Por coincidência, ou não, na semana do encontro, o “DC” Diário Catarinense, edição de 12 de abril, terça-feira, publica reportagem sobre investimentos nos portos catarinenses de ITAJAI, SÃO FRANCISCO DO SUL, NAVEGANTES E IMBITUBA.  R$ 539 milhões para obras de dragagem, ampliação e alargamento do cais. Para incrementar movimentação de contêineres portos ficarão como calado em torno de 13 a 15 metros.

 

E, PARA LAGUNA?

__ BRISA!  Nem uma palavra sobre o Porto da Pedra. 

Com certeza, no encerramento do encontro sindicalista deve ter sido oferecido aos ilustres participantes, pratos típicos da gastronomia portuária local:

___ Canja de “pés de galinha” e “sopa de pedra”!  

 

NO MEIO DO CAMINHO TEM UMA PEDRA...

Quatro décadas de abandono. Há mais de 40 anos, o morro do Gi sofreu um processo de degradação ambiental. Um cassino seria construído no local. Tantos anos depois, tudo continua como estava, e com o acesso à Pedra do Frade (cartão postal do município), pior do que antes. E as pessoas continuam visitando a Pedra mística. Granito que se equilibra, misteriosamente, sobre uma base em declive e, tendo um chapéu como contrapeso, desafia a erosão do tempo, e a força das ondas, em dias de ressaca. No Morro do Gi sobrevivem os turistas alpinistas, que caminham quase de gatinha, agarrados às pedras do caminho. Uma vergonha! Por que os órgãos ambientais não apresentam um projeto de reurbanização da área, com melhoria da estrada de acesso, recuperação do solo e plantio de árvores?

 

AS PEDRAS DO CAMINHO

A bicentenária imagem de Senhor dos Passos percorreria, novamente, as tricentenárias ruas de Laguna.  Neste ano de 2011, o “caboclo tranca-rua” colocou algumas pedras no caminho do Santo.  O pessoal responsável pelas obras de recapeamento das ruas do Centro Histórico impediu o trânsito de veículos, inclusive de santos. O Senhor dos Passos teve que mudar o curso e lá seguiu a procissão, como disse o poeta, serpenteando que nem cobra pelo chão. Uma “via crucis” em zig-zag.

A imagem de Nossa Senhora das Dores, após deixar o filho no Hospital, sua morada, ao descer o morro, quase esbarrou num monte de paralelepípedos, que interrompia a via pública. Seguiram pela rua, onde reside o vice-prefeito. Um enorme buraco quase tragou o andor da Mãe de Jesus. Salva, em cima da hora, por um aviso do Anjo da Guarda, enquanto o coro dos fiéis entoava o hino de louvor:

“... as pedras da nossa estrada, queremos te ofertar... São flores depositadas, na mesa do teu altar”.

 

SANTA PEDRADA

Na festa em comemoração ao centenário do distrito de Ribeirão Pequeno, ex- Colônia São Braz, o padre Vecker, filho do lugar, soltou o verbo, um verdadeiro calhau sobre a cabeça do prefeito Célio. Condenou o abandono do distrito e, principalmente, o estado lamentável da estrada, que interliga todo o distrito. Prefeito assimilou o golpe, fez sua “mea culpa,” evitando o confronto. A santa pedrada, também, resvalou em outros ex-prefeitos presentes ao ato comemorativo.

Antes de começar a levar pedradas no quengo, encerro o assunto, com trecho do poema de Drummond: No meio do caminho tinha uma pedra. “Não me esquecerei desse acontecimento, na vida de minhas retinas fatigadas. Nunca me esquecerei que, no meio do caminho tinha uma pedra. Tinha uma pedra no meio do caminho”.

 

POLÍTICA

Na terrinha, os políticos estão ficando ouriçados. Na localidade de Ribeirão Pequeno choveu políticos. Prefeitos, ex-prefeitos, deputados estaduais e federais. A Câmara Municipal realizou sessão solene. Vereador Eraldo Cardoso teria sido cassado pelo protocolo. Indignado, sem poder discursar na solenidade, reclamou da tribuna da Câmara. Nada que um gole da boa caninha do Ribeirão não resolva.

 

EMBAIXADA

Os embaixadores do novo município de Pescaria Brava estiveram reunidos, na Pizzaria Chedão. Uma considerável força política. Vereador Everaldo dos Santos e seu xará, líder comunitário Everaldo da Pescaria, Toninho Honorato e Donga. Completava o grupo, o radialista Álvaro de Oliveira. Quase todos são candidatos a prefeito, vice ou vereadores, no novo município. Pelo que deduzi o vereador Deyvinson de Souza (PMDB) não estaria, no momento, fazendo parte do projeto político dos “Embaixadores,” acima mencionado. Política é como nuvem cada vez que se olha ela toma uma forma diferente.

 

XAVANTE EM PÉ DE GUERRA

A eleição na Escola de Samba “Xavante” mobilizou o eleitorado da tribo carnavalesca. O veterano Chico do Xavante foi derrotado pelo candidato da oposição, Hênio Cardoso ( Batatinha), proprietário da revenda “Hênio Veículos”. A missão! Unir todos os xavantinos dispersos em outras comunidades, reaproximar a Escola do povo de seu bairro, e tirar o Xavante do incômodo último lugar.

 

CURIOSIDADE

No prédio da antiga usina da CBCA, novamente em reforma, uma placa com informações sobre o custo da obra chamou a atenção de um cidadão que passava: R$ 942.000,00.

___ Em Itapema SC, disse-me ele, em plena meia praia, área supervalorizada, acaba de ser construído um calçadão, em toda a orla marítima. Inclusive com ciclovia, bancos de madeira, chuveiros e um moderno sistema de iluminação pública por R$ 1.200.000,00, aproximadamente.

A conferir.

 

MERGULHADORES E A BEER NO DECK DO PIER

A pesca de mergulho, sem garrafa de oxigênio, exige dos pescadores, um bom preparo atlético e psíquico. Pulmões saudáveis e cabeça fria. Semana passada, a equipe de mergulhadores contornou a marina, e atracou no “DECK” central do píer. Veteranos da pesca de mergulho em nosso litoral.       Destaque para o experiente CUCA, que já mergulhou em garimpos e participou de inúmeras expedições, “garimpando” navios naufragados. Cuca é pau pra toda obra. Entende de motores náuticos, conserta desde arpões até filmadoras. Na cozinha, também, ataca de “mestre cuca”. Dizem, que é melhor de garfo, do que de tempero. James Teixeira e José Eduardo – dupla que é o terror das garoupas Eles não erram um tiro de arpão. Se tivessem sido tripulantes do baleeiro “Pequod,” da obra de Herman Melville, a famosa baleia Moby-dick teria sido arpoada e morta, logo no primeiro encontro. Ralf Alex completa a equipe, tem o fôlego de um atobá (mergulhão).

Semana passada, o mar não estava pra peixe. “Quadra ruim”. Mar mexido. Os quatro mergulhadores atracaram no píer, lançaram as âncoras e, no “Deck” central do Mar-Grosso, mergulharam no copo, sem preocupação com o perigo da apnéia.

Mestre Cuca adverte:

Mesmo quando troca a garrafa de oxigênio pela latinha de cerveja, o mergulhador não aposenta o arpão, mas fica indefeso diante do “canto das sereias,” e acaba seduzido pela “toca da piranha”.

 

SECRETÁRIO DA 19ª SDR

Secretário Crhistiano Lopes de Oliveira, em entrevista ao radialista Celso Fernandes falou sobre a indicação dos Gerentes. Os nomes serão indicados pelos partidos, com algumas recomendações, por exemplo… O Gerente de Turismo deverá ser do mesmo partido do titular da Secretaria Central, no caso, César Souza Junior (DEM) e, assim, sucessivamente.

 

COM A PORTA NA CARA

O Fórum Parlamentar Catarinense reuniu o que tinha de mais puro e seleto em Santa Catarina. Governador, deputados federais e estaduais, senadores, elite empresarial e rumaram  para Brasília. Bateram com a cara na porta. Ministro dos Transportes nem apareceu. Conclusão do trecho sul da BR 101, ficou para as calendas gregas. Que tal transformar o Fórum numa frente de batalha começando por agendar um cronograma de paralisações do tráfego da BR 101 (ponte de Cabeçuda), uma vez por mês, até a conclusão da obra? 

___ Não esqueçam que a conclusão do lote 25 (Capivari/Laguna) ficou para o final de 2012, sem contar as interrupções habituais.

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!