19mar16 - Tubarão: Vereadores acusam Prefeitura de possível favorecimento em contratação de costureira e questionam fechamento de uma escola

18/03/2016 08:52
Em sua participação no Grande Expediente da Câmara de Vereadores de Tubarão, na noite de segunda-feira (14) o vereador Gelson Bento (PP) denunciou o fechamento de uma escola de costura por parte da Prefeitura. “Foi fechada uma escola de aprendizado de costura aqui em Tubarão, próximo a avenida Patrício Lima, parece que as máquinas estão todas empilhadas sem utilização nenhuma, acarretando um problema para as mulheres, que querem aprender uma profissão”, afirmou. Enquanto isso o vereador do PSD, Carlos Zamparetti, que é Presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário, disse na mesma sessão que chegou ao seu conhecimento que uma costureira, muito próxima a um secretário municipal, foi contratada com alto salário para trabalhar na prefeitura. “Eu faço parte do sindicato das costureiras, uma coisa me estranhou muito, a contratação de uma costureira no ano passado para trabalhar num projeto social de oficina de costura, com um valor salarial relativamente alto. Vou buscar mais informações sobre isso, já que a informação que me chegou é que a vencedora da seleção foi uma amiga muito próxima do secretário. Quero saber se houve privilégio nessa contratação, como foi feita essa seleção e se essa costureira contratada tem mérito para estar naquele cargo”, pontuou o vereador. 
A Escola de Costura Industrial, a quem o vereador Gelson Bento se referiu foi um projeto iniciado em abril de 2005, numa parceria entre o governo de Tubarão que na época tinha o comando do prefeito Carlos Stüpp, por meio das secretarias de Indústria e Comércio (atual Desenvolvimento Econômico) e de Assistência Social (atual Desenvolvimento Social), a ACT (Associação dos Confeccionistas de Tubarão), SENAI, ACIT e SEBRAE. O projeto tinha por objetivo a qualificação profissional de mão-de-obra especializada a fim de atender a grande demanda do mercado de trabalho, e era aberto a homens e mulheres, com idade mínima de 16 anos e não sendo necessário ter experiência no ramo. Durante as 240 horas de curso, os alunos aprendiam a trabalhar com máquinas de costura industrial, adquirindo experiência com vários tipos de material como o jeans, malha e lycra. As aulas eram gratuitas e todo o material utilizado durante o curso era doado pela Associação dos Confeccionistas de Tubarão (ACT). E atualmente, segundo as informações do vereador as máquinas lá existem estão abandonadas, enferrujando e que poderiam estar prestando serviços à comunidade.
 
Prefeitura deixa maquinário de costura enferrujar

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!