Dentista exonerado da Fundação Hospitalar pede direito de resposta e vai à tribuna da Câmara desmentir Lussa Librelato

09/07/2010 21:27

 Depois de ter sido mencionado pelo vice prefeito e presidente da Fundação Hospitalar Santa Otília, José Carlos Librelato, o "Lussa", como autor da ação movida contra a instituição, que está tramitando na Justiça e que tem de pagar multa de R$ 200 mil, o dentista Paulo Roberto Bertoldi, pediu direito de resposta e ocupou a tribuna da Câmara de Vereadores de Orleans, na sessão de segunda-feira última (05). Ele declarou que Lussa mentiu e, que, na verdade, a ação foi promovida pelo Ministério Público da União e pelo Ministério Público do Trabalho, quando da demissão de 15 profissionais da área de Saúde, por motivos políticos ou porque não residiam no município.

Bertoldi, indignado, mas com muita calma, apresentou gravação da falação de Lussa e do secretário Paulo Conti, onde afirmam ser ele o autor e pede a retratação pública de ambos. "Sou um cidadão correto. Fui sim um dos denunciantes, mas quem promoveu a ação foram os Ministérios Públicos da União e do Trabalho. Ou eles tentaram me colocar como bode expiatório. Mentiu também em dizer que falei que na Fundação só tinha politicagem e quem mandava lá era o DEMN, o PMDB e o PSDB. Mas quando estava perto da eleição eles fizeram um jantar com os profissionais de saúde e disseram que as coisas iam melhorar. Bastou ganharem o pleito e demitiram 15 funcionários e entre eles eu estava indo junto. Perguntei para a Nice, que era secretária na época e ela disse-me que havia sido ordenada a demissão pelo Dr. Arcângelo e suas meninas", disparou.

O dentista ainda citou a demissão do geriatra de nome Alberto e que tanto é solicitado este especialista pelo vereador Antonio Dias André, o "Geada". Não esqueceu também de lembrar o caso já levantado pelo vereador Mário Coan sobre a existência de médicos fantasmas na lista de profissionais que atuam no PSF - Programa da Saúde da Família e que, coincidentemente, o cunhado do edil era um dos que constavam, mas não recebia, num claro exemplo de desvio de dinheiro público. "O próprio secretário, conforme a gravação, diz que isso é verdade e regular, mas que muitos municípios usam esta estratégia. Isso é ilegal. Conheço dois casos de municípios que a polícia federal entrou no circuito. E não está longe disso acontecer em Orleans. Podem me processar, mas também podem ficar sabendo que meu advogado vocês não vão comprar. E tem mais, não vão me perseguir. Podem até mandar alguém para dar cabo de mim, mas não calo a minha boca e quero que peçam desculpas pelas mentiras que disseram aqui na Câmara. Sou homem honrado, filho de família tradicional e o sobrenome do meu pai é de orgulho da família. Ele foi prefeito que sempre fez as coisas certas e nunca quis se promover colocando nome em placas. É uma vergonha o que está acontecendo em Orleans. O próprio promotor da ação disse é vergonhosa a situação da municipalidade em Orleans. Admiro o trabalho dos vereadores e parabenizo pela CPI. E ainda vão para a rádio dizer que os vereadores não fazem nada. É um absurdo" concluiu Bertoldi.

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!