Orleans: Vereadores da base governista cobram ações do prefeito Tinto

25/02/2011 21:20

 Não são somente os vereadores de oposição que criticam a falta de ação da administração do prefeito Jacinto Redivo, o “Tinto”, em Orleans. Os vereadores Márcio Luiz Tezza e Clésio de Oliveira Souza, aproveitaram a sessão da última segunda-feira (21) para fazer reivindicações e queixando-se da morosidade no atendimento de pleitos feitos.

Clésio de Oliveira Souza iniciou sua falação na tribuna pedindo providências para a lombada eletrônica localizada na SC próximo ao Corpo de Bombeiros e a Unibave. “Essa semana li na coluna do Edmilson Perdoná sobre lombada eletrônica, próximo do Corpo de Bombeiros e que está estragada. É uma vergonha. Tem de ser arrumada imediatamente. Sem ela os motoristas que ali trafegam correm o risco de acidentes. Isso que está bem próximo a Faculdade. Também temos a necessidade de instalar mais duas em São Jerônimo e Nova Orleans”, salientou. Outra reclamação é contra a prefeitura de Orleans. “Falei com o Dija Pavei nesta semana e pedi providencias para que arrumem a rua que leva ao Morro da cadeia. É uma vergonha o estado em que se encontra. As lajotas estão soltando. É necessário que se faça reparos. Eles têm que fazer. É uma promessa minha. Tenho ainda dois anos de mandato e isso é uma questão de honra para mim. Se não conseguir que o prefeito faça essas obras vou desistir da política e não concorro mais”, ameaçou. Também o vereador Márcio Luiz Tezza, que também é da base governista quer mais atenção do Poder Público para com as ruas de Orleans. Ele pediu através de requerimento que sinalizassem melhor uma rua da cidade e não foi atendido. “Parece que tem gente de má vontade. Já falei com um monte de gente da prefeitura. Não sei a quem mais recorrer”, disparou. O tucano Mário Coan, depois do oratório dos dois situacionistas questionou as promessas não cumpridas pelo atual governo. “De promessas vereador Clesio, tem até uma música, eu mesmo já ando cheio. Em Orleans havia uma promessa de ter um governo de seis mãos e não tem nem duas. Existia a promessa também de ceder 50% do mandato e não foi cumprida. Essas ruas que o senhor falou já serviram de moeda eleitoral muitas vezes e vi que as pessoas votaram no deputado que recebia apoiou em função da esperança de ter essas ruas pavimentadas. O que está acontecendo com o Morro da Cadeia, que sempre achei que seria uma alternativa para o trânsito de Orleans que no horário de pico, ao meio dia e às seis da tarde é um verdadeiro inferninho. Então eles inventam e não tem outra saída e eles usam a rua João Ramiro Machado, é na contramão, atravessando, uma bagunça. Precisamos de providências urgentes. O trânsito de Orleans está terrível neste aspecto”, destacou.

Vereador Clésio de Oliveira Souza: “Se não conseguir que o prefeito faça essas obras vou desistir da política e não concorro mais.”

 

Vereador Márcio Luiz Tezza, da base governista, também quer mais atenção do Poder Público para com as ruas de Orleans

 

 Vereador Mário Coan: “Em Orleans havia uma promessa de ter um governo de seis mãos e não tem nem duas”

 

 

 

Presidente da Câmara de Orleans explica demora em instalação da Comissão Processante

 

A presidente do legislativo orleanense, Suzelei Brighenti Padilha, a “Lela”, manifestou-se na tribuna, na sessão de segunda-feira (21) sobre o porquê da morosidade do seguimento dos procedimentos referentes a CPI da Saúde e que culminaria na instalação da Comissão Processante contra o prefeito Jacinto Redivo e mais um servidor. Agora, como presidente  da Câmara de Vereadores e não como membro da CPI enfatizou que passará a tomar atitudes mais sérias quanto ao assunto. “A CPI foi realizada em 90 dias e concluída dentro do prazo dela. O relatório lido em plenário e posteriormente a leitura, foi dado vista de todos os procedimentos com direito a cópia dos vereadores. Neste momento é que o Walter Orbem e o prefeito entraram com mandatos de segurança na Justiça alegando que não tiveram acesso ao relatório antes da votação do relatório e o juiz concedeu o direito a eles. Tramitam no Poder Judiciário três mandados de segurança referentes a procedimentos dessa comissão que foi devidamente realizado e finalizado e cuja função a CPI tinha que era de fiscalizar. Nosso relatório foi encaminhado TCE, PF e Justiça Federal. A CPI fez o seu papel. Mas, quanto à comissão processante não podemos adiantar nenhuma solução. Já têm novas denuncias para embasar a comissão. Acontece que em 21 de janeiro fomos intimados pela Justiça de 1º grau, sob alegação de que o vereador Walter Orbem disse que não recebeu pedido de vistas e o Dr. Paulo acatou. Não comungamos do mesmo entendimento do juiz e recorremos. Tem comentários na rua que a CPI morreu. Mas, não. Vai continuar sim. Estamos apenas esperando solução e decisão do tribunal de Justiça”, explicou Lela.

Presidente Lela Padilha: “Tem comentários na rua que a CPI morreu. Mas, não. Vai continuar, sim!”

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!