Pastoral Carcerária da CNBB – Regional Sul IV divulga nota em repúdio à tortura de presos no Presídio de Tubarão

18/06/2010 19:15

 

A tortura de detentos no Presídio Regional de Tubarão levou o Padre Célio S. Ribeiro, coordenador Regional da Pastoral Carcerária - Regional Sul 4 da CNBB, a emitir nota de repúdio, destacando que o sistema prisional de Santa Catarina mais uma vez é exposto na mídia nacional enquanto modelo de tortura e desumanidade. Diz que o ocorrido confirma mais uma vez o descaso com a segurança pública e o despreparo técnico e humano. A nota destaca que a maioria das unidades prisionais foi edificada no improviso, comprovando a falta planejamento. “Cadeias públicas recebem a denominação de “Presídios” (ambiente para presos provisórios, aqueles que ainda não foram condenados), ignorando a urgência de Penitenciárias (Ambiente para presos condenados). Neste Estado presídio passou a ser sinônimo de depósito de presos. A Pastoral Carcerária da CNBB – Regional Sul IV vem a público para repudiar as cenas de torturas ocorrida naquele presídio e solicitar apuração dos fatos. Em Santa Catarina ultrapassamos o caos. O sistema prisional do Estado, analisando a partir da Lei de Execução Penal, não atinge 5 mil vagas para uma população carcerária de 14 mil presos. Além disso, há atualmente 19 mil mandados de busca e apreensão a serem cumpridos”, enfatiza o coordenador.

Padre Célio S. Ribeiro, coordenador Regional da Pastoral Carcerária - Regional Sul 4 da CNBB

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!